Coronelismo no Nordeste: o processo de ruptura do voto de cabresto do curral eleitoral (Seridó, 1950)

"Trabajo preparado para su presentación en el X Congreso Latinoamericano de Ciencia Política (ALACIP), organizado conjuntamente por la Asociación Latinoamericana de Ciencia Política, la Asociación Mexicana de Ciencia Política y el Tecnológico de Monterrey, 31 de julio, 1, 2 y 3 de agosto 2019" Coronelismo no Nordeste: O Processo de Ruptura do Voto de Cabresto no Curral Eleitoral (Seridó potiguar, 1950) Cícero José Alves Soares Neto/UFU* cicero.soares@ufu.br A proposta interpretativa desta comunicação oral objetiva analisar o coronelismo no Nordeste brasileiro, particularmente o processo de ruptura do voto de cabresto do curral eleitoral, na microrregião do Seridó potiguar. A intenção de investigar o fenômeno do coronelismo reside em compreender qual o vínculo social que une a massa votante do campo e o patronato rural, por intermédio de um estudo de caso, no caso, o Seridó potiguar, como ilustração de decodificar qual a estratégia que o sistema coronelista apresenta para criar o nexo social que articula o famoso voto de cabresto do curral eleitoral do coronel. Portanto, a meta final desta reflexão é apreender o elo de conexão que articula o chefe político local e o homem do campo, ou seja, como se dá a entrada do camponês na vida político-partidária nacional. Enfim, como ocorre a participação da massa eleitoral do campo no processo eleitoral na sociedade nordestina sertaneja algodoeira. Conceitualmente, pretende-se investir no debate teórico que aborda algumas temáticas singulares articuladas com o clientelismo político: como se manifesta no coronelismo brasileiro? Qual a sua estrutura social que sustenta a conexão clientelística? Qual é o papel de articulador eleitoral no sistema partidário? Como se manifesta na política brasileira? Enfim, o que é um sistema de mediação política? Portanto, a delimitação fundamental do problema de reflexão deste ensaio é: o coronel e o cabo eleitoral, como representantes dos sistemas de mediação e de intermediação política, respectivamente, como participam do processo de articulação eleitoral no sistema partidário brasileiro, após 1945? Historicamente, o contexto nacional permite apreender e configurar a correlação de forças no cenário do interior nordestino, conforme fica atestado por uma investigação empírica efetuada para uma tese de doutorado. Metodologicamente, esta reflexão procura, a partir de uma análise histórica, compreender como ocorre a entrada de dois articuladores eleitorais, o coronel e o cabo eleitoral, como participantes do jogo do sistema eleitoral nos sistemas competitivos da política brasileira, no fenômeno do coronelismo. A técnica fundamental, no trabalho de campo, foi a entrevista semiestruturada para o resgate da memória oral dos seridoenses com quase cem anos que vivenciaram o período histórico investigado: 1889-1950. Palavras-chave: coronelismo, voto de ocabresto, curral eleitoral, coronel e cabo eleitoral. *Professor aposentado

Cícero José Alves Soares Neto Cícero Cícero /Universidade Federal de Uberlândia