Réquiem do Estado Desenvolvimentista? Limites e perspectivas para a política industrial na periferia no Século XXI

O objetivo deste artigo é fornecer uma análise ampla e multidisciplinar das possibilidades e limites encontrados pelos países periféricos e em desenvolvimento em relação à reprodução de vigorosas políticas industriais na atual conjuntura econômica internacional. Após reconstituir os principais elementos institucionais das experiências históricas bem-sucedidas e malsucedidas de Estados Desenvolvimentistas do pós-guerra, em estreita interação com os distintos paradigmas globalizantes, tentarei determinar se, e em qual medida, o espaço político das autoridades governamentais nacionais para promover tais políticas foi refreado. Ademais, com intuito de aprofundar analiticamente este ensaio e evitar anacronismos, também irei traçar particularidades geopolíticas e estratégicas que favoreceram e/ou possibilitaram esses modelos de Estados e economias políticas no século XX; bem como desvendar que desafios adicionais são impostos pelo atual estado da arte da indústria e entraves estruturais do capitalismo neoliberal financeirizado em voga.

Rafael Shoenmann de Moura /Rafael Shoenmann de Moura